Um engenheiro testa um borne de passagem de alta corrente

Testes laboratoriais para conectores e caixas de montagem para eletrônica Qualidade testada para a máxima segurança

Tecnologia de conexão de máxima qualidade para fabricantes de equipamentos – alta qualidade, confiabilidade, durabilidade e segurança: é esta a máxima da Phoenix Contact para bornes de placa de circuito impresso, conectores e caixas de montagem para eletrônica, os alguns dos elementos-chave da construção de instrumentos – sendo em simultâneo também uma promessa para nossos clientes. Assim, a qualidade não é testada somente a posteriori nos produtos prontos, sendo, pelo contrário, criado um abrangente gerenciamento de qualidade logo durante o processo de desenvolvimento. Porque cada tecnologia de conexão de condutores tem de cumprir determinadas normas, certificações e também requisitos específicos do país.

Os testes laboratoriais são a chave para a qualidade testada. Em nossos laboratórios tecnológicos, certificados conforme DIN EN ISO 17025 DAkkS, são realizados intensos testes de qualidade antes da aprovação de série e controles de processo de todos os parâmetros importantes durante a produção. Um sistema de gerenciamento de qualidade integrado e orientado ao processo, baseado nas normas internacionais ISO 9001 e ISO 14001, garante que no desenvolvimento e na produção dos nossos produtos são observadas as leis e normas, como também os desejos dos clientes.

Simulação tridimensional de um borne de passagem de alta corrente a cores

Testes preliminares Qualidade logo no processo de desenvolvimento

De modo a otimizar desde o início o benefício para o cliente e a qualidade, nos laboratórios da Phoenix Contact são utilizadas modernas ferramentas de simulação. Uma vez que uma simulação apoiada por computador permite definir quaisquer condições ambientais, os testes preliminares oferecem condições perfeitas para testar a estabilidade a longo prazo dos produtos logo na fase de desenvolvimento. Aqui incluem-se entre outros:

  • Planejamento antecipado de qualidade (QVP): com base na ISO 9001, TS 16949 e VDA, são adaptadas características do produto e de processo a serem desenvolvidas, elaborados conceitos de teste sob consideração do método e da referência de teste, bem como determinadas especificações do produto em forma de documentação de fabricação necessária.

  • Análise de modos e efeitos de falha (FMEA): potenciais vulnerabilidades e riscos devem ser detectados e eliminados, bem como definidas medidas como base para outras atividades.

  • Simulação apoiada por computador (FEM): o método FEM (Finite Elemente Methode) permite avaliar logo na fase de desenvolvimento se os materiais e as geometrias selecionados cumprem as demandas para a aplicação industrial.

  • Aprovação do produto e de processo (PPF): o processo PPF comprova o cumprimento das demandas acordadas com o cliente, bem como das respectivas leis e normas para a produção em série.

Um fio incandescente é pressionado em um borne de placa de circuito impresso da Phoenix Contact

Testes de materiais Lote de controle A: alta qualidade através de testes de material para um comportamento ideal a longo prazo

Para avaliar a adequação e o comportamento a longo prazo, na Phoenix Contact além da simulação apoiada por computador, os materiais são submetidos a outros testes abrangentes. O material se altera sob determinadas condições? Durante quanto tempo resiste sob temperaturas extremas? – Os nossos engenheiros de teste analisam estas questões, de modo a serem somente utilizados os materiais que satisfazem as mais elevadas demandas em termos de confiabilidade e durabilidade. Sendo o primeiro bloco no processo de aprovação do produto, o lote de controle A abrange, entre outros, estes testes:

  • Teste de fio incandescente
  • Registros termográficos
  • Microscopia eletrônica de varredura
  • Tomografia computadorizada
Um condutor conectado a um plugue é passado através de um disco rotativo. O condutor é movimento em seu eixo e, nesse processo, sujeito a uma tração.

Testes mecânicos Lote de controle B: alta qualidade através de uma resistência ideal sob efeitos externos físicos

Nestes testes de qualidade, no centro está a resistência do produto sob efeitos externos mecânicos. Bornes de placa de circuito impresso, conectores ou caixas de montagem para eletrônica são testados, entre outros, quanto a robustez, resistência a deformação, flexão e ruptura da caixa, das saídas dos condutores e das áreas de contato. Nos testes laboratoriais, o lote de controle B representa o segundo bloco para a aprovação de nossos produtos:

  • Teste de flexão (IEC 60999-1)
  • Teste de extração do condutor (IEC 60998-2-1)
  • Teste de queda
  • Teste de impacto (UL 746C)
  • Teste de choque a frio
  • Teste de inflamabilidade e de proteção contra incêndio (UL 30, UL 57, UL 1703)
  • Capacidade de conexão de condutores
  • Encaixe de contatos elétricos
  • Força de encaixe e remoção
  • Número de ciclos de encaixe
  • Conexão múltipla
  • Proteção contra toque (IEC 60529)
  • Requisito de irreversibilidade e codificação
  • Imagens de corte
Plugue conectado em série no laboratório de teste da Phoenix Contact

Testes elétricos Lote de controle C: alta qualidade através de orientação ideal do fluxo de corrente e das características de tensão

Nos testes de qualidade elétrica são analisadas as características de corrente e de tensão de bornes de placa de circuito impresso, conectores e caixas de montagem para eletrônica. No laboratório de teste, os nossos engenheiros testam os materiais, p. ex., relativamente a seu isolamento e sua capacidade de condução de corrente. Ou eles medem a resistência de contato antes e depois de uma sequência de teste. O lote de controle C, sendo o terceiro bloco, é composto, entre outros, pelos seguintes testes:

  • Teste de sobrecarga cíclica (Heat-Cycling-Test conforme UL 1059)
  • Teste de envelhecimento cíclico
  • Resistência ao calor
  • Resistência de isolamento (UL 1703, UL 27)
  • Curva de redução de carga da capacidade de condução de corrente (IEC 60512-5-2)
  • Medição da resistência de contato (ICE 6998-2-1)
  • Teste de alta tensão
  • Teste de tensão de impulso suportável (IEC 60664-1)
  • Distâncias de isolamento e fuga
  • Medição de resistência
Vários plugues são expostos durante um período definido a vibrações rápidas

Teste ambiental e teste de vida útil Lote de controle D: alta qualidade através da máxima resistência influências externas extremas

Para testar a durabilidade de nossos bornes de placa de circuito impresso, conectores e caixas, eles são expostos a condições climáticas como choques térmicos. Também é novamente testada a resistência a vibrações ou a classe de proteção IP. O objetivo e a exigência do lote de controle D, o quarto bloco antes da aprovação do produto, é: alta qualidade, durabilidade e confiabilidade, mesmo em condições ambientais adversas. Uma seleção de testes nesta área são:

Placa de circuito impresso com bornes de placa de circuito impresso bornes e outros componentes eletrônicos montados

Testes de certificação e especiais Lote de controle E: alta qualidade graças a normas e especificações locais ou específicas da indústria

Na Phoenix Contact, qualidade testada significa que nossos bornes de placa de circuito impresso, conectores e caixas também têm de satisfazer normas e certificações especiais de determinadas indústrias e países. Do âmbito do lote de controle E, sendo o último bloco dos testes laboratoriais, fazem parte, entre outros:

  • Teste de soldabilidade; DIN EN 60068-2-69
  • Isenção de filamento; DIN EN IEC 60068-2-82
  • Conformidade RoHS
  • Certificações específicas da indústria e de país
Brochura
Qualidade testada – com segurança
Os bornes e conectores de placa de circuito impresso são alguns dos elementos-chave na construção de instrumentos. Eles precisam ser não só confiáveis como também cada vez menores e mais robustos no contexto da tendência para a miniaturização. Saiba que testes e controles a tecnologia de conexão de dispositivos da Phoenix Contact tem de passar antes da aprovação de série.
Abrir e baixar o PDF
Um desenvolvedor de dispositivo avalia um borne de passagem de alta corrente