Voltar para a visão geral

Terminais tubulares

Diferentes terminais tubulares para diferentes bitolas de condutor

O terminal tubular é um meio auxiliar útil para a montagem de condutores e o cabeamento. A utilização das luvas impede um possível desfiamento dos fios individuais, o que permite um processamento posterior eficiente e, acima de tudo, seguro.

Na DIN 46228, o terminal tubular está definido de 0,5 a 50 mm². Essa norma se divide em quatro partes:

  • Parte 1 Forma de tubo sem luva de plástico
  • Parte 2 Versão de crimpagem com/sem envolvimento isolante
  • Parte 3 Com envolvimento do condutor sem envolvimento isolante
  • Parte 4 Forma de tubo com luva de plástico

Além das dimensões geométricas, fazem parte da norma o material, a coloração dependente da bitola e os princípios básicos de verificação. Além disso, se exige também que a luva aloje condutores das classes 2, 5 e 6. As bitolas dos condutores se definem através de valores de resistência elétrica e não através das dimensões geométricas, como no caso das luvas. Por isso, é possível que haja grandes diferenças nas bitolas (ver também seção Condutores e cabos). Devido a esse fato, existe uma certa discrepância entre a luva e o condutor. No entanto, as ferramentas de crimpagem da Phoenix Contact são concebidas para compensar essas diferenças de capacidade.

Além da DIN existe uma norma francesa para terminais tubulares, a NF C 63-023. Com exceção da coloração em algumas bitolas (ver matriz), a NF se baseia na DIN. A novidade na área dos princípios básicos normativos para terminais tubulares são a UL 486 F e a canadense C22.2 NO. 291-14. Essas normas harmonizadas também se baseiam na DIN, no entanto, dizem respeito mais profundamente ao método de verificação e aos requisitos específicos (entre outros, ver a tabela Valores de extração).

Na UL 486 F são também, pela primeira vez, fixadas pela norma luvas especiais como "TWIN" para a conexão de dois condutores. Para uma certificação conforme as normas UL e CSA anteriormente mencionadas é necessária uma verificação abrangente pela organização correspondente. Não são verificadas e certificadas apenas as luvas, como também o sistema completo composto por ferramenta de crimpagem e terminal tubular.

As principais vantagens do terminal tubular:

  • Segurança operacional e de contatos elevada e a longo prazo
  • Processamento posterior economizador de tempo (especialmente também com bornes push-in)
  • Conexão segura, mesmo com alteração múltipla do cabeamento
  • Redução de rupturas de cabo
  • Identificação simples da bitola
  • Segurança elevada contra vibrações
  • Resistências de contato reduzidas permanentes
  • Proteção dos fios individuais (especial mesmo em bornes parafuso)
  • Aperto uniforme nas conexões a parafuso

PHOENIX CONTACT
Ind. Com. Ltda.

Rua Francisco Corazza, 20 a 100
Pq. Residencial da Lapa
São Paulo/SP CEP: 05038-130
(11) 3871-6400 (PABX)