Voltar para a visão geral

Resumo das tecnologias táteis

Operação de uma máquina através da tela tátil  

Perfeitamente adequado para aplicações industriais

A tela tátil é um elemento de comando apreciado que provoca uma reação do sistema a operar através do toque em uma superfície especial. A superfície sensível ao toque é o sensor tátil. Em conjunto com um controlador tátil e um driver de software, estes componentes formam a chamada tela tátil. Além da funcionalidade e flexibilidade, a tela tátil se tornou o principal tipo de operação em aplicações industriais especialmente por necessitar de um espaço muito reduzido.

Em conjunto, a tela analógica e resistiva em poliéster e a tela projetiva e capacitiva (P-CAP) são utilizadas em mais de 80% de todas as aplicações industriais. Assim, a seleção da tela tátil certa depende em primeiro lugar de dois critérios:

  • Condições de utilização: interior ou exterior com influências atmosféricas e luz solar, carga mecânica, carga química, temperatura, umidade, pó, EMC, etc.
  • Modo de operação: dedos, luvas ou outros meios auxiliares

Modo de funcionamento

Dedo tocando em tela tátil  

Operação com toque

Ao contrário dos dispositivos de entrada clássicos, como mouse ou teclado, na tela tátil não são utilizados somente os dedos, mas também outros meios auxiliares, como p. ex. canetas. Dependendo da tecnologia utilizada, os seguintes estados ambientais são registrados e utilizados para a determinação da posição:

  • Sinais táteis (pressão)
  • Sinais eletrostáticos (carga)
  • Sinais acústicos (ultrassom)
  • Sinais ópticos (raios infravermelhos)
  • Sinais eletromagnéticos (tensão)

 

O sinal é processado pelo controlador tátil, depois de ter sido registrado através do sensor tátil. Em seguida, o controlador tátil transmite a informação sobre a posição do toque para a interface do usuário. Para que seja possível processar e interpretar essa informação, é necessário instalar primeiro um driver de software.

O próprio driver de software corresponde a um emulador de mouse. Por outras palavras: um toque na superfície sensível ao tato é interpretado como um clique no mouse nesse ponto. Tal como acontece no clique do mouse, um breve toque na tela tátil provoca a reação correspondente. O mesmo se aplica a toques em curtos intervalos (duplo clique) ou outras funções, como p. ex. Drag & Drop.

Voltar para cima

Tecnologias táteis

Para dar resposta à diversidade de requisitos e condições de utilização existem diversos modelos. Eles se baseiam essencialmente nas seguintes tecnologias:

Sistemas analógicos e resistivos para o registro de sinais táteis (pressão)

  • Tela em poliéster com versão de 4, 5 ou 8 condutores
  • Operação com vários dedos com base na versão de 5 condutores
  • Tela Glass-Film-Glass (tela GFG)

Sistemas capacitivos para o registro de sinais eletrostáticos (carga)

  • Tecla de superfície capacitiva
  • Tela projetiva e capacitiva

As duas tecnologias táteis apresentam características que podem ser desfavoráveis sob determinadas condições de utilização. Para estes casos especiais existem outras tecnologias táteis que, até agora, representam somente um número reduzido de casos de aplicação:

  • SAW = sistemas acústicos utilizando ultrassom para a determinação da posição:
  • IR-Touch = sistemas ópticos utilizando raios infravermelhos para a determinação da posição:

Você pode utilizar o guia de seleção para comparar as diferentes tecnologias e para encontrar o sistema apropriado para sua aplicação.

Descrição Idioma
Guia de seleção [PDF, 28 KB]
Tecnologias táteis
inglês
Voltar para cima

Tela em poliéster

Estrutura de uma tela em poliéster  

Estrutura de uma tela tátil em poliéster

Uma tela tátil resistiva é composta por duas placas em poliéster sobrepostas e revestidas com o semicondutor óxido de índio e estanho (inglês: indium tin oxide, ITO). Entre as placas existe uma folga criada com espaçadores. Assim que for exercida pressão sobre a placa superior, essa é pressionada para baixo e as duas camadas de semicondutor se tocam. O contato é acionado com o dedo ou qualquer outro objeto.

Voltar para cima

Tela projetiva e capacitiva (P-CAP)

Estrutura de tela projetiva e capacitiva  

Estrutura de uma tela tátil P-CAP

Uma camada transparente de ITO situada por baixo do vidro de cobertura composta por sensores táteis projeta um campo elétrico uniforme que se expande pelo vidro até ao operador. Em caso de um toque, se altera o campo elétrico. Um vidro mais espesso ou a operação com luvas não são um problema. O controlador tátil localiza as coordenadas com alta precisão.

Os engenheiros não colocaram limites ao design do vidro de cobertura. Além disso, o vidro temperado é muito robusto e resistente a substâncias agressivas. Essencialmente, também é possível uma função multitoque, embora isso dependa do sistema operacional utilizado.

Voltar para cima

Tela Glass-Film-Glass (GFG)

Estrutura da tela Glass-Film-Glass  

Estrutura de uma tela GFG

A tela GFG combina a tecnologia tátil analógica e resistiva, comprovada e baseada em pressão, com um design em vidro de alta qualidade. Neste caso, a superfície não é uma película de poliéster, mas um vidro fino e resistente. A camada de vidro também serve de barreira de vapor contra a entrada de umidade. Assim, a tela GFG é especialmente apropriada para condições ambientais adversas.

A operação ocorre com dedos, luvas, canetas e qualquer outro objeto, não causando danos.

Voltar para cima

PHOENIX CONTACT
Ind. Com. Ltda.

Rua Francisco Corazza, 20 a 100
Pq. Residencial da Lapa
São Paulo/SP CEP: 05038-130
(11) 3871-6400 (PABX)