Um engenheiro de teste testa um borne de passagem de corrente elevada

Testes de laboratório para conectores e invólucros eletrónicos Qualidade comprovada para a mais elevada segurança

Tecnologia de ligação para fabricantes de equipamentos da mais alta qualidade – sofisticada, fiável, duradoura e segura: é esta a exigência da Phoenix Contact relativamente a bornes para placa de circuitos impressos, conectores e invólucros eletrónicos, os elementos-chave no fabrico de equipamentos – e, ao mesmo tempo, também uma promessa aos nossos clientes. Assim, a qualidade não é verificada apenas posteriormente nos produtos finalizados, mas, sim, existe uma gestão de qualidade abrangente logo no processo de desenvolvimento, dado que cada tecnologia de ligação de condutores tem de preencher determinadas normas, certificações e também requisitos específicos do país.

Os testes de laboratório são a chave para a qualidade comprovada. Nos nossos laboratórios de tecnologia, acreditados de acordo com a norma DIN EN ISO 17025 DAkkS, são efetuados testes de qualidade intensivos antes da produção em série e controlos de processo de todos os parâmetros importantes durante a produção. Um sistema de gestão de qualidade integrado e direcionado para o processo, com base nas normas internacionais ISO 9001 e ISO 14001, assegura que os desejos do cliente, as leis e as normas são tidos em consideração durante o desenvolvimento e fabrico dos nossos produtos.

Simulação tridimensional de um borne de passagem de corrente elevada a cores

Testes preliminares Qualidade já durante o processo de desenvolvimento

Para otimizar os benefícios do cliente e a qualidade desde o início, são utilizadas ferramentas de simulação modernas nos laboratórios da Phoenix Contact. Para a verificação da estabilidade a longo prazo dos produtos logo na fase do desenvolvimento, os testes preliminares proporcionam os requisitos ideais, dado que as condições ambientais numa simulação auxiliada por computador podem ser livremente definidas. Aqui incluem-se, entre outros:

  • Planeamento antecipado da qualidade (QVP): Com base na ISO 9001, TS 16949 e VDA, são coordenadas as características do produto e do processo a serem desenvolvidos, os conceitos de teste são desenvolvidos tendo em consideração os métodos de teste e a identificação do teste e as especificações do produto são definidas na forma de documentos de fabrico necessários.

  • Análise de influências e possibilidade de erros (FMEA): os potenciais pontos fracos e riscos devem ser identificados e eliminados, e devem ser definidas medidas como base para futuras atividades.

  • Simulação auxiliada por computador (FEM): através do cálculo FEM (Finite Elemente Methode), é possível avaliar, na fase de desenvolvimento, se os materiais selecionados e as geometrias preenchem os requisitos para a aplicação industrial.

  • Aprovação de produto e processo (PPF): o procedimento PPF comprova o cumprimento das exigências acordadas com o cliente, bem como das leis e normas correspondentes para a produção em série.

Um fio incandescente é pressionado sobre um borne para placa de circuitos impressos da Phoenix Contact

Verificações de materiais Lote de teste A: elevada qualidade através de testes de material para comportamentos ideais a longo prazo

Para avaliar a sua adequação e comportamentos a longo prazo, para além da simulação auxiliada por computador, os materiais usados ​​são submetidos a outros testes abrangentes na Phoenix Contact. O material altera-se sob determinadas circunstâncias? Quanto tempo resiste sob temperaturas extremas? – Os nossos engenheiros de teste procuram respostas para perguntas como estas, para que sejam utilizados apenas materiais que atendem aos mais elevados requisitos em termos de fiabilidade e durabilidade. O lote de teste A como primeiro bloco no processo de aprovação do produto abrange, entre outros, estes testes:

  • Teste de fio incandescente
  • Registos termográficos
  • Microscopia eletrónica por varrimento
  • Tomografia computadorizada de raios X
Teste de flexão num conector

Verificações mecânicas Lote de teste B: elevada qualidade graças à resistência ideal sob influência física externa

Nestes testes de qualidade, o ponto central é a resistência do produto quando submetido a influências mecânicas externas. Bornes para placa de circuitos impressos, conectores ou invólucros eletrónicos são testados, entre outros, quanto à robustez, comportamentos de deformação, flexão e rutura do invólucro, das saídas do condutor e das superfícies de contacto. Nos testes de laboratório, o lote de teste B constitui o segundo bloco do processo de aprovação de produto nos nossos produtos:

  • Teste de flexão e dobra (IEC 60999-1)
  • Teste de extração do condutor (IEC 60998-2-1)
  • Teste de queda
  • Ensaio de impacto (UL 746C)
  • Teste de impacto frio
  • Teste de inflamabilidade e de proteção contra incêndio (UL 30, UL 57, UL 1703)
  • Capacidade de ligação do condutor
  • Encaixe de contactos elétricos
  • Força de inserção e remoção
  • Número de ciclos de encaixe
  • Conexão múltipla
  • Proteção contra contacto (IEC 60529)
  • Distinção e codificação
  • Imagens de corte polido
Teste de carga de corrente em conectores com diferentes correntes nominais

Verificações elétricas Lote de teste C: elevada qualidade graças ao direcionamento ideal do fluxo de corrente e das propriedades de tensão

Nos testes de qualidade elétricos, são investigadas as propriedades da corrente e da tensão de bornes para placa de circuitos impressos, conectores e invólucros eletrónicos. No laboratório de teste, os nossos engenheiros testam os materiais, p. ex., em termos do seu isolamento e capacidade de condução de corrente. Ou, então, medem a resistência do contacto antes e depois de uma sequência de teste. O lote de teste C como terceiro bloco, é constituído, entre outros, pelos seguintes testes:

  • Sobrecarga cíclica (Heat-Cycling-Test de acordo com UL 1059)
  • Ensaio de envelhecimento cíclico
  • Segurança térmica
  • Resistência de isolamento (UL 1703, UL 27)
  • Curva de corrente admissível da capacidade de condução de corrente (IEC 60512-5-2)
  • Medição da resistência de contacto (ICE 6998-2-1)
  • Teste de alta tensão
  • Teste de tensão suportada ao choque (IEC 60664-1)
  • Distâncias de isolamento e fuga
  • Medição da resistência
Vários conectores são submetidos a vibrações rápidas durante um período definido

Testes ambientais e de vida útil Lote de teste D: elevada qualidade graças à mais elevada resistência sob influências externas extremas

Para testar a durabilidade dos nossos bornes para placa de circuitos impressos, dos conectores e dos invólucros, estes são submetidos a condições climatéricas extremas, tais como choques de temperatura. A resistência a vibrações ou as classes de proteção IP também são verificadas. Objetivo e exigência do lote de teste D, o quarto bloco antes da aprovação do produto: qualidade elevada, durabilidade e fiabilidade, mesmo sob condições ambientais duras. Os testes selecionados nesta área são:

Placa de circuito impresso com os bornes para placa de circuitos impressos fixos sobre a mesma

Testes de certificação e especiais Lote de teste E: qualidade elevada graças a normas e certificações locais ou específicas do ramo

Qualidade comprovada na Phoenix Contact significa que os nossos bornes para placa de circuitos impressos, conectores e invólucros também têm de preencher normas e aprovações especiais em determinadas indústrias e países. Para o espectro do lote de teste C, como bloco final dos testes de laboratório, fazem parte, entre outros:

  • Teste de soldabilidade; DIN EN 60068-2-69
  • Liberdade de whisker; DIN EN IEC 60068-2-82
  • Conformidade RoHS
  • Certificações específicas da indústria e dos países
Brochura
Qualidade comprovada – com segurança
Os bornes e conectores de encaixe para placas de circuitos impressos fazem parte dos elementos essenciais no fabrico de equipamentos. Não só têm de ser fiáveis, como também cada vez mais pequenos e robustos devido à miniaturização. Saiba a que testes e verificações a tecnologia de ligação de dispositivos da Phoenix Contact deve ser submetida antes da aprovação em série.
Abrir e descarregar PDF
Um designer de dispositivos avalia um borne de passagem de corrente elevada