Nossa história

Desde nossa fundação em 1923 em Essen já experiencamos e movemos muito. Damos a você um resumo de quase 100 anos da Phoenix Contact – marcados pela inovação tecnológica, conduzida por pessoas responsáveis.

Primeira sede da Phoenix Contact junto da estação ferroviária de Essen

A fundação em Essen

A 5 de maio de 1923, o comerciante Hugo Knümann funda em Essen uma representação comercial para produtos industriais: a Phönix Elektrizitätsgesellschaft Hugo Knümann GmbH & Co. KG. A sede se situa na Hollestraße 36, diretamente junto à estação ferroviária de Essen. Em dois pisos alugados se situam o armazém, a distribuição e a montagem. Mas que produtos comercializa o varejista e joalheiro? Knümann tem faro para o negócio: os transportes públicos têm uma grande demanda. Respectivamente, os bondes estão sobrecarregados e necessitam de válvulas de fios de contato. Este é o primeiro produto comercial da Phönix Elektrizitätsgesellschaft.

Foto da primeira régua de bornes

A invenção da régua de bornes

Poucos anos após a fundação, Hugo Knümann conhece um engenheiro chefe da Rheinisch-Westfälisches Elektrizitätswerk, abreviada RWE. A empresa precisa suprir a grande demanda de corrente na florescente região do Ruhr.
No encontro surge a ideia de criar bornes de corrente alinháveis em um trilho DIN. A invenção da chamada régua de bornes é elementar para a indústria. Ela permite que, em caso de pequenos defeitos, não seja necessário trocar o bloco de conexão completo mas somente a peça defeituosa. Isto permite economizar material e tempo.
O produto de sucesso é montado e distribuído no espaço de Essen. O corpo de fixação é de metal, a caixa de cerâmica. Knümann contrata o fornecimento das peças necessárias. Em 1928 Hugo Knümann recebe a patente para as réguas de bornes.

Arcadas na estação ferroviária de Essen

A mudança para Blomberg

Em 1939 eclode a Segunda Guerra Mundial. Devido à indústria de armamento, a região do Ruhr é alvo de muitos bombardeios. Também a sede junto da estação ferroviária de Essen é bombardeada a 13 de março de 1943, de modo que Hugo decide evacuar a empresa. Através de parentes, o senhor Knümann encontra a 200 km de distância a pequena cidade de Blomberg na região de Ostwestfalen-Lippe. A atividade da empresa é continuada no restaurante "Bürgerheim" que está desocupado. No piso inferior se situam os escritórios, no piso superior a montagem e o armazém.
Após o final da guerra, os colaboradores comerciais regressam a Essen, mas as instalações de montagem e armazenamento permanecem em Blomberg.

Hugo Knümann e Josef Eisert

O primeiro contato com a família Eisert

Ao passo que a empresa se desenvolve bem, o futuro reserva um evento determinante para Hugo Knümann. Ele conhece através de um agente de patentes comum o engenheiro de alta tensão Josef Eisert. Knümann consegue contratar Josef Eisert, um detentor de várias patentes de bornes, como diretor técnico da empresa. Josef Eisert ingressou em 1949 na empresa e redefine todo o programa de produtos. Este conhecimento forma a base para o sucesso contínuo da empresa.
Em 1937, Knümann também contrata Ursula Lampmann para realizar tarefas de escritório. Ela faz um trabalho tão bom que em 1943, ainda com 23 anos de idade, se torna agente autorizado.
Quando Hugo Knümann morre em 1953, Josef Eisert e Ursula Lampmann assumem a direção da empresa. Dois anos mais tarde a empresa assume sua nova designação Phönix Klemmen.

Foto aérea histórica de Flachsmarkt em Blomberg (Phoenix Contact)

O primeiro galpão de produção

Josef Eisert vê um grande potencial na produção própria. Em 1957 é construído o primeiro galpão de produção em Flachsmarkt em Blomberg. No galpão 1 se encontram a construção de ferramentas, a produção em plástico, o torneamento de parafusos, a montagem, a técnica industrial, o armazém e a distribuição.
Em 1966 também a administração da empresa se muda novamente de Essen para Blomberg. O edifício administrativo construído de raiz tem quatro andares e completa a sede.

Foto da empresa Noelle & Berg, atualmente a Phoenix Feinbau

O nascimento do Grupo Phoenix Contact

As peças de puncionagem e dobragem são fornecidas pela Noelle & Berg, situada não muito longe da região de Sauerland. A empresa de Lüdenscheid, atualmente a Phoenix Feinbau, se torna a uma subsidiária e a fornecedora exclusiva da Phönix Elektrizitätsgesellschaft. Seguem-se muitas outras cooperações – os primórdios do Grupo Phoenix Contact.
Nos anos 60 os três filhos Klaus, Jörg e Gerd Eisert começam a trabalhar na empresa. Quando Josef Eisert morre em 1975, os três irmãos assumem juntamente com Ursula Lampmann a direção da empresa. O engenheiro Klaus se ocupa da distribuição e do desenvolvimento de produtos, o engenheiro Jörg da produção e o comerciante Gerd do negócio de exportação. Quando Jörg Eisert morre em 1979 em uma viagem a caminho de Lüdenscheid em um acidente de viação, Klaus Eisert também assume a direção da produção.

Produtos da Phoenix Contact

A eletrônica impõe-se

Nos anos 70 e 80 do século XX, o quadro de comando se torna mais eletrônico e, por isso, o portfólio de produtos também se expande nesse sentido. Primeiro o borne de placa de circuito impresso é integrado no quadro de comando para fornecer um elemento de conexão adequado para a eletrônica aí existente. Se seguem os conectores para placa de circuito impresso, relés, transformadores, fontes de alimentação e muitos outros produtos eletrônicos. Contudo, esta eletrônica também se torna cada vez mais sensível a interferências eletromagnéticas. Tanto raios como também operações de comutação ou descargas eletrostáticas podem destruir instalações completas. Assim, em 1983 também são adicionados produtos de proteção contra sobretensão a nosso portfólio.

Homens mudando uma placa: a Phönix Klemmen passa a Phoenix Contact

As primeiras filiais no exterior

Em 1981, com a fundação de três filiais na Suécia, Suíça e EUA, Gerd Eisert começa a construir uma rede de distribuição internacional. Esta internacionalização também se reflete no nome da empresa. A Phönix Klemmen passa a Phoenix Contact. O nome internacional torna a marca e a declaração de valores uniformemente aplicáveis.
Desde então se seguem novas filiais estrangeiras a cada ano. Atualmente, a Phoenix Contact está representada em mais de 50 países com distribuidoras próprias. Além disso, em onze países se produz com um elevado nível de integração vertical.

Sistema de bus de campo Interbus

A inicialização na tecnologia de automação

Com a apresentação do sistema de bus de campo Interbus Hannover Messe 1987 a Phoenix Contact se estabelece na tecnologia de automação. A rede para a transmissão serial de dados permite uma abertura transversal a todo o sistema, desde o sensor até o controlador e serve para a automação de instalações de produção.
Em 1994 é fundada em Bad Pyrmont a Phoenix Contact Electronics como unidade importante. A nova filial se especializa no desenvolvimento e na produção de módulos eletrônicos e tecnologia de automação.

Diretoria executiva da Phoenix Contact em 2005

A nova diretoria executiva

Em 2001, os sócios nomeiam quatro novos membros da direção, que se tornam gerentes em 2005: Roland Bent para Marketing e Desenvolvimento, Prof. Dr. Gunther Olesch para Recursos Humanos, Informática e Direito, Frank Stührenberg para Distribuição e Dr. Heinz Wesch para Tecnologia. O quinto gerente é o Dr. Martin Heubeck, que é responsável pelas Finanças desde 2003.
Gerd Eisert morre em 2001 e seu irmão Klaus permanece como único sócio gerente da família de empresários na chefia da empresa. Em 2015 ele deixa este cargo e se dedica à constituição de uma comissão. Frank Stührenberg assume a diretoria executiva do grupo empresarial como Presidente Executivo. A comissão recém-fundada inicia suas operações em 2016. Ela assessora a diretoria executiva.

Foto da celebração de "um bilhão de euros de volume de vendas" da Phoenix Contact

Os primeiros bilhões

No início do novo milênio, o volume de vendas ultrapassa a marca de um bilhão de marcos alemães. Em 2007, o mesmo volta a acontecer, agora em euros. Agora, pela primeira vez, os mercados internacionais determinam mais da metade do volume de vendas. A Phoenix Contact se estabeleceu em todo o mundo como líder de mercado no setor da engenharia eletrotécnica e da automação. O número de colaboradores se aproxima do marco dos 10.000 colaboradores.
Não for preciso esperar muito pelo segundo bilhão. Somente dez anos mais tarde, em novembro de 2017, Roland Bent e Frank Stührenberg anunciam a ultrapassagem de dois bilhões de volume de vendas – mais um grande marco para a Phoenix Contact.

Imagem aérea da Phoenix Contact em Nanjing, China

O grupo empresarial cresce

Na última década do século XX a empresa registra um crescimento constante. Após a reunificação, a rede de distribuição alemã é alargada para os novos Estados Federais. O laboratório de testes independente Phoenix Testlab inicia sua atividade em 1994 em Blomberg.
Em todos os continentes são fundadas novas distribuidoras. Também na China é criada uma filial em Nanjing, atualmente a segunda maior filial a seguir aos EUA.
Até à atualidade, tanto na Alemanha como a nível internacional são sempre integradas novas filiais no grupo empresarial. De momento, o Grupo Phoenix Contact é composto por quinze empresas alemãs e quatro empresas da esfera internacional.
A área dos chamados New Businesses se desenvolve desde 2013 de forma dinâmica. Se tendo iniciado com a fundação de uma filial para eletromobilidade, os New Businesses abrangem atualmente empresas de impressão 3D, Soluções em Nuvem e muito mais.

Linha de montagem da Indústria 4.0

A era da Indústria 4.0

Desde a primeira década do século XXI que a Phoenix Contact se ocupa com a Indústria 4.0 e a Internet das Coisas (Internet of Things, IoT). De modo a otimizar processos de fabricação complexos com novas tecnologias, é importante a digitalização de produtos, tecnologia e processos de produção. Juntamente com os clientes e parceiros, criamos ativamente soluções para o futuro e preparamos a transformação digital de nosso mundo na produção inteligente do futuro.

Mapa do mundo interligado para a visualização da All Electric Society

O início da nova década

Desde 2020 que temos um interesse profundo no conceito da All Electric Society. A All Electric Society é uma visão dando respostas aos grandes desafios da humanidade: a luta contra as alterações climáticas e a garantia de um desenvolvimento sustentável. A chave para a implementação desta visão é a eletrificação, interligação e automação abrangentes de todos os setores da economia e infraestrutura. Já atualmente a Phoenix Contact oferece produtos e soluções que podem ser utilizados nos passos de desenvolvimento para a All Electric Society e, desse modo, habilitando a indústria e a sociedade em alcançar esta visão.