Voltar para a vista geral

Normas e diretivas

Diretriz de máquinas UE

Os seus produtos são abrangidos pela área de aplicação da diretiva Máquinas 2006/42/CE? Deverão circular no mercado interno europeu? Nesse caso, os requisitos da diretiva Máquinas devem ser observados.

A marcação CE apenas é permitida se os requisitos forem cumpridos de forma abrangente. No Espaço Económico Europeu, esta marcação é indispensável para que as máquinas possam circular e ser operadas sem restrições.

A diretiva Máquinas tem como objetivo a redução do número de acidentes ocorridos ao manusear máquinas. Por isso, a diretiva exige a inclusão do aspeto de segurança na construção e no fabrico de máquinas.

Além disso, é necessário assegurar a elaboração da documentação técnica exigida na diretiva Máquinas. Mediante a documentação técnica de uma máquina deve ser possível avaliar a conformidade com os requisitos da diretiva Máquinas.

O fabricante da máquina ou o seu representante é responsável pela elaboração da documentação técnica, bem como pelo cumprimento de todas as normas.

Conteúdos importantes da diretiva Máquinas:

  • Descrição da área de aplicação da diretiva Máquinas
  • Delimitação relativamente a outras diretivas europeias
  • Definição de máquinas completas e incompletas
  • Requisitos aplicados a máquinas completas e incompletas
  • Requisitos e medidas para a colocação em circulação e em funcionamento de máquinas
  • Significado de normas harmonizadas
  • Procedimentos de avaliação de conformidade para máquinas
  • Procedimentos para máquinas incompletas
  • identificação CE
  • Requisitos básicos de segurança e de proteção da saúde para a construção e o fabrico de máquinas
  • Procedimento para a avaliação de riscos de máquinas
  • Documentação técnica necessária
Voltar para cima

Normas EN para a segurança em máquinas

Normas de segurança para máquinas  

Normas de segurança para máquinas

A diretiva Máquinas contém requisitos básicos de segurança e proteção da saúde.
No respetivo Jornal Oficial da União Europeia são apresentadas as normas harmonizadas da diretiva Máquinas.

Uma máquina cumpre os requisitos básicos de segurança e de proteção da saúde se tiver sido fabricada conforme estas normas harmonizadas.

As normas EN subdividem-se em diversos tipos:

  • Tipo A - norma básica de segurança
  • Tipo B - norma de grupos de segurança
  • Tipo C - norma de segurança do produto

 

Subdivisão das normas EN

Tipo A

Normas básicas de segurança através de conceitos básicos, fundamentos de configuração e aspectos gerais (por exemplo concepção e formas de trabalho), que se aplicam a todas as máquinas, equipamentos e instalações.

Tipo B

Normas de grupos de segurança sobre um aspeto de segurança ou um tipo de equipamento de segurança, que podem ser aplicadas a uma série de máquinas, dispositivos e sistemas

  • Tipo B1 - Aspetos de segurança especiais, como por exemplo distâncias de segurança e valores-limite para temperaturas de superfícies
  • Tipo B2 - Equipamentos de segurança, como por exemplo paragem de emergência ou comandos bimanuais

Tipo C

Normas de segurança de máquinas com exigências de segurança detalhadas sobre todos os perigos importantes para uma determinada máquina ou grupo de máquinas. As normas tipo C com frequência são denominadas normas de produto.

Voltar para cima

Normas harmonizadas para a segurança funcional

Comparação de PL e SIL  

Comparação de PL e SIL

A norma EN 62061 e a EN ISO 13849-1 foram especialmente derivadas da EN 61508 para o setor de construção de máquinas. Estas duas normas centram-se em especial nos requisitos para as peças relevantes para a segurança de controladores em máquinas.

Ambas as normas estão harmonizadas na diretiva Máquinas e representam o estado da técnica. Ao contrário da anterior norma EN 954, estas normas também podem ser aplicadas a sistemas complexos e programáveis. Além disso, contêm todos os aspetos da segurança funcional derivados da EN 61508. Deste modo, deixaram de ter importância exclusivamente aspetos determinísticos. Adicionalmente, também são importantes as probabilidades de falha estatísticas de sistemas, bem como medidas organizacionais e de prevenção e deteção de erros.

Em ambas as normas, a integridade de segurança é a medida para a segurança.

A EN 62061 utiliza SIL 1 até SIL 3 e a EN 13849 utiliza PL a até PL e como nível discreto para a integridade de segurança.

Voltar para cima

Áreas de aplicação da EN 62061 e EN ISO 13849-1

Por que existe duas normas diversas para o mesmo campo de aplicação? Na tabela seguinte encontra as respostas a esta pergunta.

EN 62061EN ISO 13849-1
Sistemas eletromecânicos simples como relés ou eletrónica simples.Sistemas eletromecânicos simples como relés ou eletrónica simples.Sistemas eletromecânicos simples como relés ou eletrónica simples.Sistemas eletromecânicos simples como relés ou eletrónica simples.
Sistemas eletrónicos complexos, bem como sistemas programáveis com todas as arquiteturas.Sistemas eletrónicos complexos, bem como sistemas programáveis com as arquiteturas previstas.
Os requisitos foram especificamente concebidos para sistemas de controladores elétricos. No entanto, o âmbito estabelecido e a metodologia podem ser aplicados a outras tecnologias.São diretamente aplicáveis a tecnologias fora da área eletrotécnica, como a hidráulica e a pneumática.
Voltar para cima

Norma de segurança EN ISO 13849-1

Determinação do Performance Level  

Determinação do Performance Level

A EN ISO 13849-1 descreve a configuração de peças de segurança de controladores. Um parâmetro importante para a fiabilidade de funções relevantes para a segurança é o nível de desempenho (Performance Level - PL).

Para determinar o PL necessário, têm de ser avaliados diferentes critérios: a extensão dos danos, a frequência e a duração de falhas, bem como as possibilidades de prevenção do perigo.

Com o seguinte diagrama, pode determinar o nível de desempenho requerido(PLr) com base nestes três critérios.

 

Projeto e determinação da arquitetura de controle

O nível de desempenho (PL) da peça de segurança de um controlador (SRP/CS) é determinado mediante a avaliação dos seguintes parâmetros:

  • Categoria - é indicada na norma como estrutura definida
  • Tempo médio até uma falha perigosa (MTTFd) – é disponibilizado pelo fabricante do componente
  • Grau de cobertura de diagnóstico (DC) – deve ser consultado na norma
  • Falha em consequência de uma causa comum (CCF) – a ser determinado como sistema de pontos de acordo com diversos critérios
  • Nível de desempenho (PL) atingido – é determinado com base numa tabela e deve ser igual ou superior ao PLr requerido
Determinação do Performance Level
Voltar para cima

Implementação da ISO 13849-1

A EN ISO 13849-1 descreve não apenas a montagem de peças de um comando, com segurança baseada em hardware, mas também a configuração do software.

A norma estabelece as exigências para o ciclo de vida completo de funções de segurança e recomenda métodos para implementação de módulos de segurança configuráveis.

Descrição Idioma Versão
Implementação da EN ISO 13849-1 [PDF, 0,25 MB]
Aqui pode encontrar informações detalhadas sobre a implementação correta da EN ISO 13849-1.
alemão 01.11.2010
Voltar para cima

Norma de segurança DIN EN 62061

Determinação da classe SIL  

Determinação do nível de integridade de segurança

A DIN EN 62061 descreve os aspetos de segurança funcional de sistemas de controladores de segurança elétricos, eletrónicos e programáveis.

Um parâmetro importante para a fiabilidade de funções relevantes para a segurança é o nível de integridade de segurança (SIL).

Para determinar o SIL necessário, são avaliados diversos critérios:

  • Gravidade dos ferimentos (S)
  • Frequência e duração da exposição ao perigo (F)
  • Probabilidade de ocorrência de um evento perigoso (W)
  • Possibilidade de prevenção ou de limitação dos danos (P)

 

Projeto da arquitetura de controle e determinação do desempenho obtido

O parâmetro de tecnologia de segurança para sistemas parciais resulta dos seguintes valores:

  • Tolerância de erro do hardware (HFT), específico da aplicação
  • Percentagem de falhas seguras (SFF), indicação do fabricante
  • Grau de cobertura de diagnóstico (DC), indicação do fabricante ou EN ISO 13849-1
  • Probabilidade de uma falha perigosa por hora (PFHd), resulta dos outros valores
  • Intervalo de inspeção de qualidade ou vida útil, indicação/específico do fabricante
  • Intervalo de teste de diagnóstico, específico da aplicação
  • Predisposição para falhas em consequência de uma causa comum, indicação do fabricante ou EN ISO 13849-1
Determinação do nível de integridade de segurança
Voltar para cima

Arquitetura da função de segurança (SRP/CS, SRECS)

  • SRP/CS (Safety-related part of a control system)
  • SRECS (safety-related electrical control system)
Arquitetura da função de segurança
Voltar para cima

Phoenix Contact S.A.

Sintra Business Park,
Edifício n°1
Zona Industrial da Abrunheira
2710-089 SINTRA

Horário: 9h -13h e 14h -18h
(+351) 21 911 2760

Este website usa cookies. Ao continuar a navegar, está a concordar com a nossa política de cookies. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade.

Fechar