Voltar para a vista geral

Proteção contra incêndios

Proteção contra incêndios conforme DIN EN 45545-2:2013-08

A norma DIN EN 45545-2:2013-08, resultante da especificação técnica DIN CEN/TS 45545-2:2009-07, ratificada desde março de 2013 e transposta para a legislação nacional, apresenta os requisitos relativos à reação ao fogo de materiais e componentes.

Com a finalidade de qualificar plásticos para determinadas classes de construção e operação de veículos sobre carris, a norma descreve, com base em diversos Requirement Sets (R) (conjuntos de requisitos), métodos de ensaio para a determinação de níveis de risco, os chamados Hazard Levels (HL). Neste caso, HL 3 corresponde aos mais elevados requisitos.
 
Os seguintes ensaios são realizados com vista à qualificação de plásticos para aplicações eletrotécnicas:

  • Índice de oxigénio conforme DIN EN ISO 4589-2
  • Formação de gás de combustão conforme EN ISO 5659-2 (25 kW/m²)
  • Toxicidade do gás de combustão NF X70-100-2 (600°C)
  • Teste de fio incandescente conforme EN 60695-2-11
  • Ensaio vertical de queimadores pequenos conforme EN 60695-11-10

As poliamidas não reforçadas utilizadas nas réguas de bornes da Phoenix Contact, com a classe de inflamabilidade UL 94 V0, cumprem os mais elevados requisitos do HL3, de acordo com os ensaios descritos nos Requirement Sets R22, R23, R24, R25 e R26.

Voltar para cima

Reação ao fogo conforme DIN 5510-2

A DIN 5510-2 relativa à proteção contra incêndios preventiva em veículos sobre carris – reação ao fogo e efeitos secundários da combustão de materiais e componentes exige, na secção 5.2.2.4 relativa a materiais isolantes, que se fixem no seu lugar as peças condutoras de corrente que não estejam inseridas em invólucros estanques, o cumprimento do requisito V0 conforme DIN EN 60695-11-10, que é comparável com a UL 94. Em alternativa, para as áreas vedadas aos passageiros, exige um índice de oxigénio OI ≥ 30 % conforme DIN EN ISO 4589-2.

Ambos os requisitos são cumpridos pelas poliamidas não reforçadas utilizadas nas réguas de bornes da Phoenix Contact com a classe de inflamabilidade UL 94 V0.

Voltar para cima

Reação ao fogo conforme NF F 16-101 / NF F 16-102

A NF F 16-101 descreve, com base em dois índices (I e F), a reação ao fogo dos plásticos. Nesse caso, efetuam-se os seguintes testes:

  • Teste de fio incandescente (NF EN 60695-2-10 e NF EN 60695-2-11)
  • Índice de oxigénio (NF EN ISO 4589-2)
  • Toxicidade do gás de combustão (NF X 70-100)
  • Opacidade do gás de combustão (NF X 10-702)

O índice I é determinado com base na tabela a partir dos resultados do teste de fio incandescente
e do índice de oxigénio. Aqui, I0 corresponde à melhor classificação e I4
à pior classificação.

  • I0 - Índice de oxigénio a 70% - Fio incandescente a 960°C, sem formação de chama
  • I1 - Índice de oxigénio a 45% - Fio incandescente a 960°C, sem formação de chama
  • I2 - Índice de oxigénio a 32% - Fio incandescente a 960°C, sem formação de chama
  • I3 - Índice de oxigénio a 28% - Fio incandescente a 850°C, sem formação de chama
  • I4 - Índice de oxigénio a 20% - Fio incandescente a 850°C, a chama apaga-se rapidamente

 

O índice F é determinado com base na medição da opacidade e toxicidade do gás de combustão. Nesse caso, para a toxicidade do gás de combustão, as seguintes concentrações de substâncias em mg/m³ são consideradas críticas:

  • Monóxido de carbono (CO) 1750
  • Dióxido de carbono (CO2) 90.000
  • Ácido clorídrico (HCl) 150
  • Ácido bromídrico (HBr) 170
  • Ácido cianídrico (HCN) 55
  • Ácido fluorídrico (HF) 17
  • Dióxido de enxofre (SO2) 260

Dependendo dos resultados do teste é obtido um índice de fumo ao qual é atribuída a classe F0 – F5 conforme o respetivo valor. Nesse caso, o valor F0 é a melhor classificação e F5 é a pior. As réguas de bornes da Phoenix Contact alcançam a classificação I2 / F2.

Voltar para cima

Inflamabilidade da superfície conforme ASTM E 162 (NFPA 130)

Teste à inflamabilidade da superfície  

Teste à inflamabilidade da superfície

Para a avaliação da inflamabilidade da superfície de plásticos, é determinado um "flame spread index" (índice de propagação de chamas) conforme a ASTM E 162 que representa uma informação sobre a propagação de chamas sob condições de ensaio predefinidas.
 
Para tal, é irradiada uma amostra (152x457x25,4 mm) com uma fonte de calor (815 °C) num ângulo de 30° e é incendiada com uma chama aberta na extremidade superior. Durante os 15 minutos de duração do teste é determinado o tempo em que a frente da chama atingiu dois pontos com a distância de 76 mm um do outro. Com base no resultado desse tempo de propagação das chamas e um fator de desenvolvimento de calor é determinado o "flame spread index".

No sistema ferroviário americano, o valor limite máximo é 35. Além disso, durante o teste, é avaliado o comportamento de gotejamento do plástico. As réguas de bornes da Phoenix Contact atingem um "flame spread index" de 5, não gotejam ao queimar e, assim, ficam muito abaixo dos valores máximos permitidos pela Federal Railroad Administration (FRA) do Departamento Americano de Transporte.

Voltar para cima

Formação de gás de combustão conforme ASTM E 662 (NFPA 130)

Formação de gás de combustão ASTM E 662  

Formação de gás de combustão ASTM E 662

Na norma ASTM E 662 é predefinido um modo de procedimento para a avaliação da densidade ótica específica do fumo durante uma combustão aberta ou uma combustão lenta. Para tal, considera-se a transmissão percentual da luz em relação ao volume da câmara de combustão.

Nesse sentido, é colocada uma amostra (76x76x25 mm) numa câmara de densidade de fumo definida pelo NBS (National Bureau of Standards). A amostra é irradiada com um calor de 2,5 W/cm². Em seguida, são simulados os seguintes processos durante 20 minutos:

  • Combustão com chama aberta
  • Combustão lenta, evitando uma chama aberta.

Existem valores limite especiais da densidade ótica do fumo para ambos os processos, que são registados após 1,5 e 4 minutos:

  • Densidade ótica específica do fumo (Ds1,5) – valor limite 100
  • Densidade ótica específica do fumo (Ds4) – valor limite 200
  • Densidade máxima do fumo (Dm) durante os 20 minutos

As poliamidas utilizadas nas réguas de bornes da Phoenix Contact cumprem todos os requisitos da Federal Railroad Administration (FRA) do Departamento Americano de Transporte conforme a ASTM E 662.

Voltar para cima

Toxicidade do gás de combustão SMP 800 C

A SMP 800 C descreve os valores máximos permitidos de gases de combustão tóxicos durante a combustão de um plástico. Em comparação com a BSS 7239 (padrão Boeing), esta norma apresenta procedimentos de medição mais precisos para a determinação qualitativa e quantitativa de gases de combustão tóxicos que são gerados durante a combustão completa da amostra. Com este objetivo, são retirados 6 litros de gás de combustão da câmara NBS durante o teste ASTM E 662, entre o 4.º e o 19.º minuto, e encaminhados para análise.

Valores limite de gases de combustão tóxicos SMP 800 C em ppm:

  • Monóxido de carbono (CO) 3.500
  • Dióxido de carbono (CO2) 90.000
  • Óxidos de nitrogénio (NOX) 100
  • Dióxido de enxofre (SO2) 100
  • Ácido clorídrico (HCl) 500
  • Ácido bromídrico (HBr) 100
  • Ácido fluorídrico (HF) 100
  • Ácido cianídrico (HCN) 100

As poliamidas utilizadas pela Phoenix Contact estão muito abaixo das concentrações críticas.

Voltar para cima

Proteção contra chamas isenta de halogénio

Halogénios são, entre outros, os elementos químicos flúor, cloro, bromo e iodo. Uma
propriedade das ligações de halogénios, especialmente as que contêm bromo, consiste na redução da inflamabilidade quando utilizados em plásticos. No entanto, em caso de incêndio, são libertados gases de combustão tóxicos e corrosivos que podem também causar danos secundários.

Por esse motivo, a Phoenix Contact não utiliza sistemas de proteção contra chamas que contêm aditivos com halogénios. A poliamida, o policarbonato, o policarbonato/acrilonitrilo-butadieno-estireno (PC/ABS) e a poliolefina estão equipadas com sistemas de proteção contra chamas isentos de halogénios.

As réguas de bornes do sistema CLIPLINE complete são feitas de poliamida 6.6 (PA 6.6) e fabricadas com a classificação de proteção contra incêndios UL 94 V0. Estas poliamidas são definidas como retardador de chama, sem halogénio e com cianurato de melamina, de acordo com a mais recente tecnologia.

Assim, todas as réguas de bornes da Phoenix Contact são isentas de halogénio, sem exceções.

Voltar para cima

Phoenix Contact S.A.

Sintra Business Park,
Edifício n°1
Zona Industrial da Abrunheira
2710-089 SINTRA

Horário: 9h -13h e 14h -18h
(+351) 21 911 2760

Este website usa cookies. Ao continuar a navegar, está a concordar com a nossa política de cookies. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade.

Fechar