Normas e padrões

Normas e padrões

Seguro e duradouro

Processos de etiquetagem da Phoenix Contact.

Alterungsprüfung

Altersprüfung: Zeit- und Temperaturkennlinie  

Altersprüfung: Zeit- und Temperaturkennlinie

nach IEC 60947-7-1/-2

Reihenklemmen zeichnen sich unter anderem durch lange Lebenszyklen aus und halten Dauergebrauchstemperaturen von +125 °C sicher stand. Damit auch die Klemmenbeschriftung bzw. -bedruckung diesen Ansprüchen genügt, werden bei Phoenix Contact Beschriftungsmaterialien mit Wärmestabilisatoren ausgestattet.

Zur Simulation eines mehrjährigen Einsatzes werden im Klimaschrank die Markierungsmaterialien zusammen mit Klemmen bzw. Leitern einem festgelegten Temperaturzyklus ausgesetzt. Die untere Temperatur im Klimaschrank wird auf +20 °C und die obere Temperatur auf +120 °C (+80 °C bei PVC) eingestellt.

Während der Aufwärmphase und der zehnminütigen Haltephase erreichen die Prüflinge die maximal zulässige Betriebstemperatur. Dann erfolgt die Abkühlungsphase. Die Prüfung beinhaltet insgesamt 192 Zyklen.

Phoenix Contact-Markierungsmaterialien werden ausnahmslos nach IEC 60947-7-1/-2 geprüft. Alle eingesetzten Kunststoffe verfügen außerdem über ausreichende Sicherheitsreserven.

Voltar para cima

Resistência a óleos e a produtos químicos

com base na norma DIN EN ISO 175

Através de meios externos, como líquidos ou gases, podem ocorrer processos ou reações químicas ou físicas. Tal pode ter como consequência a alteração das propriedades de um plástico. Este pode ficar danificado ou, possivelmente, destruído.

Consequentemente, as impressões e etiquetagens também podem ser afetadas pela alteração. Para o evitar, na Phoenix Contact são utilizados exclusivamente plásticos e materiais de impressão e de etiquetagem testados com base na norma DIN EN ISO 175.

Voltar para cima

Resistência à radiação UV

Resistência à radiação UV dos plásticos  

Resistência à radiação UV dos plásticos

em conformidade com as normas DIN EN ISO 4892-2 e DIN EN ISO 60068-2-5

A ação dos raios UVB provoca limitações do perfil de propriedades mecânicas dos plásticos. Como consequência, dependendo do tipo de plástico, as impressões e etiquetagens podem sofrer danos de diferentes intensidades.

Os materiais de marcação da Phoenix Contact são armazenados tanto em ambientes secos como húmidos sob radiação UV e testados de acordo com as normas acima referidas.

Voltar para cima

Ensaio de corrosão

Ensaio de corrosão em conformidade com a norma DIN 50018  

Ensaio de corrosão

em conformidade com a norma DIN 50018

As condições ambientais extremas colocam elevadas exigências sobre os componentes e a respetiva identificação ou etiquetagem. O seguinte método de ensaio descreve, em conformidade com a norma DIN 50018, o ensaio de corrosão em ambientes com condensação em ar com dióxido de enxofre.

Numa câmara climática, são introduzidos dois litros de água destilada e um litro de gás SO2. A uma temperatura de ensaio de +40 °C forma-se durante o teste um ambiente que ataca as superfícies do material das amostras. Após oito horas de teste, as amostras secam durante 16 horas com a porta aberta.

Segue-se uma inspeção visual microscópica. Todos os materiais de marcação utilizados na Phoenix Contact cumprem esta norma exigente e suportam meios agressivos de forma segura.

Voltar para cima

Pulverização de névoa de sal

Pulverização de névoa de sal em conformidade com a norma IEC 60068-2-11/-52  

Pulverização de névoa de sal

em conformidade com a norma IEC 60068-2-11/-52

Especialmente na construção naval, os componentes técnicos devem ser identificados e permanecer legíveis de forma permanente em ambientes corrosivos. O teor de sal do ar, em conjunto com a humidade aumentada, são extremamente exigentes para as impressões e materiais utilizados.

Com base na norma IEC 60068-2-11/-52, é possível simular as condições do clima marítimo. A resistência dos materiais é testada por meio da pulverização de névoa de sal em ambientes corrosivos. As amostras são introduzidas na câmara de ensaios e pulverizadas com um jato fino de solução de cloreto de sódio a cinco por cento (NaCl; pH de 6,5-7,2) a uma temperatura de +35 °C durante 96 horas.

No final do ensaio, segue-se uma verificação microscópica. Os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem estes elevados requisitos e também podem ser utilizados sob condições climáticas extremas.

Voltar para cima

Resistência a solventes

com base na norma EN 60464-2:2001

As marcações e etiquetagens devem suportar diversos vapores de solventes. Com base na norma acima referida, as impressões e etiquetagens são armazenadas durante dez dias num ambiente com acetona, n-hexano e etanol, após os quais devem permanecer legíveis.

Voltar para cima

Resistência à abrasão e aos efeitos da limpeza

Resistência à abrasão e aos efeitos da limpeza em conformidade com a norma DIN EN 61010-1/DIN EN 61439-1  

Resistência à abrasão e aos efeitos da limpeza

em conformidade com a norma DIN EN 61010-1/DIN EN 61439-1

As etiquetagens e impressões devem ser resistentes aos produtos de limpeza utilizados na indústria. A norma acima referida prevê que as etiquetagens e impressões sejam esfregadas com um pano húmido embebido em água, isopropanol, benzina e n-hexano. Após este processo, devem permanecer legíveis.

Os materiais de marcação da Phoenix Contact satisfazem os elevados requisitos de resistência à abrasão e aos efeitos da limpeza e podem ser utilizados em todas as aplicações.

Voltar para cima

Resistência a riscos

Resistência a riscos com base na norma DIN EN ISO 1518  

Resistência a riscos

com base na norma DIN EN ISO 1518

As etiquetagens e impressões devem ser resistentes a cargas mecânicas pontuais ou lineares. Por esse motivo, a Phoenix Contact testa todas as etiquetagens e impressões quanto à resistência a riscos em conformidade com a norma acima referida.

Para tal, uma ferramenta para raspar com ponta hemisférica (de 1 mm de diâmetro) aplica uma pressão de 2 N a 6 N sobre as amostras, consoante o processo de impressão. Segue-se uma inspeção visual e microscópica das amostras. Os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem estes elevados requisitos mecânicos.

Voltar para cima

Resistência a vibrações

em conformidade com a norma IEC 60068-2-6

Este ensaio serve para comprovar a resistência à vibração e a fixação segura de materiais de marcação sob a influência de vibrações prolongadas. Durante o ensaio são aplicadas vibrações harmónicas e senoidais para simular forças giratórias, pulsantes ou oscilantes na amostra.

O ensaio é efetuado nos três eixos (x, y, z). Para o ensaio é utilizada uma banda de frequências de 3 Hz a 150 Hz com uma velocidade de uma oitava por minuto. O valor eficaz da aceleração é de até 50 m/s2.

As amostras são testadas nos três eixos durante duas horas em cada um. Não pode ocorrer nenhum dano aos materiais de marcação que impeça a continuidade do seu uso. Todos os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem a norma e são especialmente adequados para aplicações expostas a vibrações elevadas.

Voltar para cima

Ensaio de vibração

Ensaio de vibração em conformidade com a norma DIN EN 61373 – Ruído de banda larga  

Ruído de banda larga

em conformidade com a norma DIN EN 61373 – Ruídos de banda larga (intensidade conforme DIN EN 50155)

Em muitas aplicações, principalmente na tecnologia de tráfego, os materiais de etiquetagem estão expostos a vibrações e choques. Para uma simulação prática das condições de vibração, as amostras são testadas quanto à resistência às vibrações com frequências e amplitudes crescentes e decrescentes.

Para a verificação é utilizada uma banda de frequências de 5 Hz a 150 Hz. O valor eficaz da aceleração é de até 42,5 m/s2. As amostras são testadas nos três eixos (x, y, z) durante cinco horas em cada um. Não pode ocorrer nenhum dano aos componentes e aos materiais de marcação que impeça a continuidade do seu uso. Todos os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem estes elevados requisitos ao nível de vibrações.

Voltar para cima

Ensaio de aderência pelo método da quadrícula

Ensaio de aderência pelo método da quadrícula com base na norma DIN EN ISO 2409  

Ensaio de aderência pelo método da quadrícula

com base na norma DIN EN ISO 2409

Neste ensaio, é executado um teste com fita adesiva. É aplicada uma fita autoadesiva transparente com um poder de aderência de 10 ± 1 N sobre a impressão ou etiquetagem a ser testada. Em seguida, é descolada num ângulo de 60° em relação ao sentido do puxão a uma velocidade de cerca de 1 cm/s a partir da superfície.

Após o ensaio, não deve ficar visível qualquer resíduo da impressão na fita adesiva. Os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem esta norma, são resistentes e não descolam.

Voltar para cima

Ensaio de adesividade

Ensaio de adesividade com base no método de teste FINAT n.º 2  

Ensaio de adesividade

com base no método de teste FINAT n.º 2

Este ensaio é utilizado para comparar ao poder de aderência de etiquetas em diferentes materiais de base. Para esse efeito, é aplicada uma tira de etiquetas (25 x 175 mm) com uma força definida sobre o material de base.

Após um tempo definido, a tira é removida a um ângulo de 90° e a uma velocidade de 300 mm/min a partir do material de base. A indicação do poder de aderência é realizada em N/25 mm. Assim, o ensaio permite escolher a etiqueta mais adequada para a aplicação.

Voltar para cima

Phoenix Contact S.A.

Sintra Business Park,
Edifício n°1
Zona Industrial da Abrunheira
2710-089 SINTRA

Horário: 9h -13h e 14h -18h
(+351) 21 911 2760

Este website usa cookies. Ao continuar a navegar, está a concordar com a nossa política de cookies. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade.

Fechar