Voltar para a vista geral

Terminais ponteira

Diferentes terminais ponteira para diferentes secções do condutor

O terminal ponteira representa um meio auxiliar útil na confeção de condutores e na cablagem. A utilização das mangas impede um eventual empalme dos fios individuais, o que permite um processamento posterior e, sobretudo, de processo seguro.

O terminal ponteira está definido de 0,5 até 50 mm² na norma DIN 46228. Esta norma está estruturada em quatro partes:

  • Parte 1 Forma de tubo sem mangas de plástico
  • Parte 2 Versão de cravação com/sem contorno de isolamento
  • Parte 3 Extensivo a condutores sem contorno de isolamento
  • Parte 4 Forma de tubo com manga de plástico

Além das dimensões geométricas, o material, o esquema de cores dependente da secção transversal e as bases de teste também estão incluídos na norma. Além disso, a manga tem de cumprir o requisito de incorporar condutores das classes 2, 5 e 6. As secções transversais dos condutores são definidas através de valores de resistência elétricos e não através das dimensões geométricas, como acontece com as mangas. Por isso, é possível encontrar maiores disparidades nas secções transversais (ver secção de condutores e cabos). Por esta razão, existe uma certa discrepância entre manga e condutor. No entanto, as ferramentas de cravação da Phoenix Contact estão essencialmente preparadas para compensar estas diferenças de capacidade.

Além da DIN, existe uma norma francesa para terminais ponteira, a NF C 63-023. À exceção do esquema de cores em algumas secções transversais (ver a matriz), a NF baseia-se na DIN. A norma UL 486 F e a canadiana C22.2 NO. 291-14 constituem a novidade no âmbito das bases normativas para terminais ponteira. Este padrões uniformizados também se baseiam na norma DIN, no entanto, dedicam-se mais profundamente à metodologia de teste e aos requisitos específicos (entre outras coisas, ver a tabela dos valores de extração).

Na norma UL 486 F, as mangas especiais também são fixadas normativamente pela primeira vez como "TWIN" para a ligação de dois condutores. Para se obter uma certificação de acordo com os padrões UL e CSA mencionados anteriormente, a organização responsável tem de realizar uma verificação abrangente. A verificação e a certificação não são apenas realizadas às mangas, com efeito, todo o sistema, constituído por ferramenta de cravação e por terminal ponteira, é submetido ao processo.

As vantagens mais importantes do terminal ponteira:

  • Segurança dos contactos e fiabilidade operacional elevadas e a longo prazo
  • Processamento posterior economizador de tempo (especialmente também com bornes push-in)
  • Ligação segura, mesmo com vários processos de recablagem
  • Redução de quebras de cabos
  • Deteção simples de secções transversais
  • Segurança elevada contra vibrações
  • Resistências de passagem permanentemente baixas
  • Proteção dos fios individuais (especialmente também com bornes de parafuso)
  • Aperto constante em ligações de parafuso

Phoenix Contact S.A.

Sintra Business Park,
Edifício n°1
Zona Industrial da Abrunheira
2710-089 SINTRA

Horário: 9h -13h e 14h -18h
(+351) 21 911 2760

Este website usa cookies. Ao continuar a navegar, está a concordar com a nossa política de cookies. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade.

Fechar