Voltar para a visão geral

PROFIsafe

PROFIsafe é um perfil certificado para Profibus e PROFINET. Com SIL 3 (Safety Integrity Level) ou categoria 4 conforme EN ISO 13849-1, o PROFIsafe satisfaz as máximas exigências de segurança da indústria de processamento e fabricação. Tanto a comunicação de segurança como a comunicação padrão são possíveis através do mesmo cabo.

Protocolo PROFIsafe

Representação esquemática do protocolo PROFIsafe  

Protocolo PROFIsafe

O sistema PROFIsafe é uma ampliação dos sistemas Profibus e PROFINET. Com o sistema é possível executar funções de segurança livremente programáveis e transferir os dados seguros de entrada e saída necessários de e para os dispositivos de I/O seguros.

A comunicação entre o controlador seguro e os participantes de bus seguros é feita pelo protocolo PROFIsafe, que se sobrepõe ao protocolo Profibus standard ou PROFINET e contém os dados seguros de entrada e saída, bem como as informações de segurança de dados.

Princípio "Black Channel"

Representação esquemática do princípio  

Princípio "Black Channel"

O PROFIsafe utiliza, exatamente como INTERBUS-Safety, o princípio "Black Channel" para a transmissão de dados seguros através de uma rede padrão.

Os dados seguros, compostos apenas de dados úteis, relevantes para a segurança, e do teste de protocolo necessário para a proteção, são transmitidos em conjunto com os dados não relevantes de segurança via Profibus ou PROFINET.

O F-Host no controlador seguro e o F-Device no módulo I/O trocam entre si, desta maneira, os sinais seguros.

Os mecanismos de proteção integrados protegem contra os seguintes erros possíveis:

  • Repetição de mensagens
  • Perda de mensagens
  • Inserção de mensagens
  • Sequência incorreta de mensagens
  • Falsificação de dados
  • Retardo de mensagens
  • Erros de memória recorrentes em Switches
  • Participantes trocados

Tempo de reação

Representação esquemática dos tempos de reação com o sistema PROFIsafe  

Tempos de reação com o sistema PROFIsafe

A distância mínima do equipamento de segurança para o perigo depende dos seguintes fatores:

  • Tempo de atraso do sensor
  • Tempo de processamento do programa de segurança em um controlador de segurança, inclusive das transmissões de rede
  • Tempo de processamento e filtragem nos módulos de entrada e saída
  • Tempo de retardo ou inércia do atuador

Os tempos de atraso dos sensores e atuadores são independentes do protocolo Safety utilizado e precisam ser observados separadamente.

Com base nos processos individuais não sincronizados determina-se o tempo de reação como soma dos seguintes valores:

  • Tempo do watchdog do módulo de entrada
  • Tempo do watchdog da rede ajustado pelo módulo de entrada para o controlador
  • Tempo do watchdog ajustado do controlador seguro
  • Tempo do watchdog da rede ajustado pelo controlador para o módulo de saída
  • Tempo do watchdog do módulo de saída

PHOENIX CONTACT
Ind. Com. Ltda.

Rua Francisco Corazza, 20 a 100
Pq. Residencial da Lapa
São Paulo/SP CEP: 05038-130
CNPJ 68.404.912/0001-62
(11) 3871-6400 (PABX)