Normas e padrões

Normas e padrões

Segurança e durabilidade

Processos de etiquetagem testados da Phoenix Contact.

Teste de envelhecimento

Teste de envelhecimento: curva característica de tempo e temperatura  

Teste de envelhecimento: curva característica de tempo e temperatura

conforme IEC 60947-7-1/-2

As réguas de terminais destacam-se, entre outras coisas, por ciclos de vida útil longos e resistem com segurança a temperaturas constantes de utilização de +125 °C. Para que a etiquetagem ou impressão de terminais também atendam a essas exigências, os materiais de marcação da Phoenix Contact são equipados com estabilizadores de calor.

Para a simulação de uma utilização de vários anos, os materiais de marcação, assim como terminais e condutores, são expostos na câmara climática a um ciclo de temperatura determinado. A temperatura mais baixa na câmara climática é ajustada em +20 °C e a mais alta em +120 °C (+80 °C com o PVC).

Durante a fase de aquecimento e na pausa de suspensão de dez minutos, os corpos de teste atingem a temperatura de operação máxima permitida. Em seguida, ocorre a fase de resfriamento. O teste contém 192 ciclos no total.

Os materiais de marcação da Phoenix Contact são testados, sem exceções, segundo a IEC 60947-7-1/-2. Além disso, todos os plásticos utilizados dispõem de reservas de segurança suficientes.

Voltar para cima

Resistência a óleo e a produtos químicos

em conformidade com a DIN EN ISO 175

Através de outros meios, como líquidos ou gases, podem ocorrer processos ou reações físicos ou químicos. Isso pode fazer com que as propriedades de um plástico se alterem. Ele pode ser danificado ou, possivelmente, destruído.

Em consequência disso, as impressões e etiquetagens também podem ser danificadas pela alteração. Para evitar isso, na Phoenix Contact são utilizados exclusivamente plásticos assim como materiais de impressão e etiquetagem que são testados em conformidade com a DIN EN ISO 175.

Voltar para cima

Resistência a raios UV

Resistência dos plásticos a raios UV  

Resistência dos plásticos a raios UV

conforme DIN EN ISO 4892-2 e DIN EN ISO 60068-2-5

As radiações de UV-B fazem com que os plásticos sofram limitações das propriedades mecânicas. A consequência disso é que, dependendo do tipo de plástico, as impressões ou etiquetagens podem ser danificadas com intensidades diferentes.

Os materiais de marcação da Phoenix Contact são armazenados tanto em atmosfera seca como úmida sob radiação UV e testados de acordo com as normas acima mencionadas.

Voltar para cima

Teste de corrosão

Teste de corrosão conforme DIN 50018  

Teste de corrosão

conforme DIN 50018

As influências climáticas extremas impõem requisitos elevados sobre as peças, assim como a respectiva identificação ou etiquetagem. O seguinte procedimento de teste, em conformidade com a DIN 50018, descreve o teste de corrosão de ambiente com variação de água de condensação com atmosfera com dióxido de enxofre.

Em uma câmara climática são introduzidos dois litros de água destilada e um litro de gás SO2. Com +40 °C de temperatura de teste forma-se durante o teste uma atmosfera com teor ácido que ataca as superfícies do material dos corpos de teste. Após oito horas de teste, os corpos de teste secam durante 16 horas com a porta aberta.

Em seguida ocorre uma inspeção visual microscópica. Todos os materiais de marcação utilizados pela Phoenix Contact cumprem essa norma exigente e resistem com segurança aos meios agressivos.

Voltar para cima

Névoa de pulverização salina

Névoa de pulverização salina conforme IEC 60068-2-11/-52  

Névoa de pulverização salina

conforme IEC 60068-2-11/-52

Especialmente na construção naval, os componentes técnicos devem ser identificados e permanecer sempre legíveis em uma atmosfera corrosiva. O teor de sal do ar, combinado com o aumento de umidade do ar, impõe requisitos elevados sobre as impressões e os materiais usados.

Com base na norma IEC 60068-2-11/-52, é possível simular a ação do clima marítimo. A capacidade de resistência dos materiais é testada por meio de névoa de pulverização salina em atmosfera corrosiva. Para isso, os corpos de teste são colocados na câmara de teste e pulverizados com dosagem fina com uma solução de cloreto de sódio a 5% (NaCl; pH 6,5-7,2) a uma temperatura de +35 °C durante 96 horas.

Após o término do teste, realiza-se um teste microscópico. Os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem esses requisitos elevados e também podem ser utilizados em condições climáticas extremas.

Voltar para cima

Resistência a solventes

em conformidade com a EN 60464-2:2001

As marcações e inscrições devem resistir aos vapores de diferentes solventes. Com base na norma acima mencionada, as impressões e etiquetagens são armazenadas durante dez dias em uma atmosfera com acetona, n-hexano e etanol e devem continuar legíveis depois disso.

Voltar para cima

Resistência ao desgaste e à limpeza

Resistência ao desgaste e à limpeza conforme DIN EN 61010-1/DIN EN 61439-1  

Resistência ao desgaste e à limpeza

conforme DIN EN 61010-1/DIN EN 61439-1

As etiquetagens e impressões devem ser resistentes aos produtos de limpeza aplicados na indústria. A norma acima mencionada determina que as etiquetagens e impressões sejam esfregadas com um pano macio com água, isopropanol, benzina e n-hexano. Depois disso, elas devem continuar legíveis.

Os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem os requisitos elevados quanto à resistência ao desgaste e à limpeza e podem ser utilizados em todas as aplicações.

Voltar para cima

Resistência a riscos

Resistência a riscos em conformidade com a DIN EN ISO 1518  

Resistência a riscos

em conformidade com a DIN EN ISO 1518

As etiquetagens e impressões devem ser resistentes a sobrecargas mecânicas pontuais ou lineares. Por isso, a Phoenix Contact verifica todas as etiquetagens e impressões quanto à resistência a riscos segundo a norma acima mencionada.

Para isso, um estilete com ponta semiesférica (diâmetro de 1 mm) aplica uma pressão de 2 N a 6 N contra o corpo de teste, dependendo do processo de impressão. Em seguida ocorre uma inspeção visual e microscópica do corpo de teste. Os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem esses requisitos mecânicos elevados.

Voltar para cima

Resistência à vibração

conforme IEC 60068-2-6

Esse teste serve para comprovar a resistência a vibrações e a solidez dos materiais de marcação sob influência de vibrações constantes. Durante o teste são aplicadas vibrações harmônicas e senoidais de forças giratórias, pulsantes ou oscilantes no corpo de teste.

O teste é efetuado em todos os três eixos (x, y, z). Para o teste é percorrida uma faixa de frequências de 3 Hz a 150 Hz com uma velocidade de uma oitava por minuto. O valor efetivo da aceleração é de até 50 m/s2.

Os corpos de teste são testados nos três eixos durante duas horas em cada um. Nos materiais de marcação não pode ocorrer nenhum dano que prejudique a continuidade do uso. Todos os materiais de marcação da Phoenix Contact correspondem à norma e são apropriados especialmente para aplicações em que ocorrem vibrações intensas.

Voltar para cima

Teste de vibração

Teste de vibração conforme DIN EN 61373 – Ruídos de banda larga  

Ruídos de banda larga

conforme DIN EN 61373 – Ruídos de banda larga (nível de intensidade conforme DIN EN 50155)

Em muitas aplicações, e especialmente na tecnologia de tráfego, os materiais de etiquetagem estão expostos a vibrações e impactos. Para a reprodução fiel à realidade da carga por impactos, os corpos de teste são testados quanto à resistência à vibração com frequências e amplitudes ascendentes e descendentes.

Para o teste é utilizada uma faixa de frequências de 5 Hz até 150 Hz. O valor efetivo da aceleração é de até 42,5 m/s2. Os corpos de teste são testados nos três eixos (x, y, z) durante cinco horas em cada um. Nos componentes e nos materiais de marcação não pode ocorrer nenhum dano que possa prejudicar a continuidade do uso. Todos os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem esses requisitos elevados em termos de vibração.

Voltar para cima

Teste de corte em grade

Teste de corte em grade em conformidade com a DIN EN ISO 2409  

Teste de corte em grade

em conformidade com a DIN EN ISO 2409

Aqui é executado um teste de fita adesiva. É aplicada uma fita adesiva transparente com uma força de aderência de 10 ± 1 N sobre a impressão ou etiquetagem que deve ser testada. Em seguida, a fita é removida da superfície com um ângulo de 60° em relação à direção da tração com uma velocidade de cerca de 1 cm/s.

Após o teste não deve ser visível nenhum resíduo de impressão na fita adesiva. Os materiais de marcação da Phoenix Contact cumprem essa norma, são resistentes e não se soltam.

Voltar para cima

Teste de força de aderência

Teste de força de aderência em conformidade com o método de teste FINAT nº 2  

Teste de força de aderência

em conformidade com o método de teste FINAT nº 2

Esse teste serve para comparar a força de aderência de etiquetas em materiais de base diferentes. Para essa finalidade é aplicada uma tira de etiqueta (25 x 175 mm) com uma força definida sobre o material de base.

Depois de um tempo de armazenamento definido a tira é removida do material de base com um ângulo de 90° e a uma velocidade de 300 mm/min. A indicação da força de aderência é em N/25 mm. Desse modo, o teste possibilita a seleção da etiqueta mais adequada para a aplicação.

Voltar para cima

PHOENIX CONTACT
Ind. Com. Ltda.

Rua Francisco Corazza, 20 a 100
Pq. Residencial da Lapa
São Paulo/SP CEP: 05038-130
CNPJ 68.404.912/0001-62
(11) 3871-6400 (PABX)