Tecnologia LED UV

Tecnologia LED UV

Etiquetagem rápida e ecológica

Tecnologia LED UV de alta qualidade da Phoenix Contact.

Suas vantagens

  • Materiais impressos para uso imediato graças à tecnologia LED UV
  • Etiquetagem resistente a limpeza e riscos
  • Etiquetagem resistente a solventes e com impressão nítida
  • Emissões zero e consumo de energia reduzido graças à tecnologia LED
  • Compatível com códigos de barras

Princípio de impressão

Processo de impressão com UV  

Processo de impressão com UV

A impressão com fluido endurecido por raios UV é um processo de impressão com extremamente flexível e, ao mesmo tempo, com uma elevada resistência e custos reduzidos. Aqui, com uma cabeça de impressão semelhante à das impressoras por jato de tinta, é aplicado um fluido especial no componente a identificar que, em seguida, é endurecido com a ajuda de uma fonte de luz.

Na cabeça de impressão se formam gotas de fluido individuais que são aceleradas na direção do componente. Para gerar a imagem de impressão desejada, a cabeça de impressão percorre o componente e aplica o fluido em linhas. A radiação UV endurece o fluido na mesma etapa de trabalho. O componente não é aquecido durante a impressão nem durante o endurecimento.

Essa tecnologia de impressão pode ser usada em inúmeros campos de aplicação. As placas de identificação de plástico podem ser etiquetadas da mesma forma que as placas de metal com pré-tratamento.

Fluido sem solventes

Fluido de etiquetagem sem solventes  

Fluido de etiquetagem sem solventes

As impressoras UV da Phoenix Contact usam um fluido de etiquetagem sem solventes. Esse fluido é constituído por três elementos principais:

  • Fotoiniciador, que inicia a reação fotoquímica para o endurecimento dos fluidos sobre o substrato de impressão
  • Aglutinante, que funciona como matriz de suporte para a impressão
  • Pigmento corante para a opacidade

A chave para a tecnologia da impressão UV digital é a polimerização por indução fotoquímica. A radiação UV converte os iniciadores do fluido nos chamados radicais. Radicais são moléculas com um elétron livre que quer estabelecer uma ligação. Os radicais ativam moléculas dos componentes aglutinantes, os chamados monômeros, e se ligam a eles formando cadeiras ou matrizes. Essas cadeias são designadas de polímeros. Eles envolvem os pigmentos corantes, assegurando assim o endurecimento da tinta. O processo de impressão não produz absolutamente nenhumas emissões, uma vez que o fluido usado está isento de solventes ou outras substâncias voláteis.

Tinta com solventes

Para além dos fluidos endurecidos por raios UV, também é possível usar tintas com solventes. Em
caso de não utilização existe o risco de secagem. Para endurecer a tinta, o componente
é aquecido por alguns minutos após o processo de impressão: dependendo do material e da tinta usada, com
temperaturas entre +70 °C e +200 °C.

O componente precisa arrefecer antes de voltar a ser utilizado. Nem todos os materiais são adequados para este processo, uma vez que podem sofrer deformações com altas temperaturas, especialmente os plásticos. Em geral, no caso dessas tintas, o solvente evapora sob o efeito dessas temperaturas. Além disso, é necessário assegurar que a tinta seca não é novamente dissolvida por outros solventes. Por isso, nos produtos da Phoenix Contact é usado um fluido endurecido por raios UV.

Cabeças de impressão

Fundamentalmente se distingue entre dois tipos diferentes de transferir tintas e fluidos para os componentes.

Jato de tinta contínuoJato de tinta Drop-on-Demand (DOD)
Disparo das gotas de tintapermanenteconsoante necessidade (durante a própria impressão)
Tintas/Fluidoscom elevado teor de solventescom solventes ou sem solventes
Bocaisum único bocal com jato contínuogrande número de bocais com gotas disparadas na vertical
Resoluçãobaixa (p. ex. para etiquetagem de cabos)elevada (para impressões de alta qualidade)

Nas impressoras por jato de tinta DOD podem ser aplicadas duas tecnologias de cabeça de impressão diferentes:

  • Método Bubble Jet: através do aquecimento elétrico é gerada uma bolha de vapor que, através da pressão que se forma, força as gotas a sair pelo bocal. Para gerar a bolha de vapor é necessária uma tinta com solventes. O método Bubble Jet é usado em impressoras mais baratas, p. ex., para usuários privados.
  • Método de jato piezelétrico: os canais dos bocais são compostos por cristais piezelétricos que se deslocam em ondas através de impulsos elétricos. Em consequência disso, as gotas são então disparadas. As impressoras com o método piezelétrico apresentam cabeças de impressão duradouras e de alta qualidade, que são usadas, p. ex., na impressão UV. A BLUEMARK também usa o método de jato piezelétrico.

Fontes de luz

Espectro da luz

Espectro da luz

Como fonte de luz UV frequentemente são usadas lâmpadas UV (queimadores). Dependendo do tipo de construção, a utilização pode estar associada a uma formação de calor intensa. Esses queimadores são especialmente potentes, mas também têm uma grande largura de dispersão da luz UV emitida. Por isso, p. ex., um queimador UV-C (100-280 nm de comprimento de onda) também fornece emissões de luz nas faixas UV-A (315-380 nm) e UV-B (280-315 nm).

Uma alternativa para esses queimadores são os LEDs. Os LEDs UV emitem luz em uma faixa extremamente pequena (UV-A) e, por isso, ao contrário dos queimadores, apresentam uma largura de dispersão bastante menor. A polimerização fotoquímica induzida pelos raios UV ocorre frequentemente na faixa de comprimento de onda de 200 a 400 nanômetros. Sua formação de calor mínima é outra das suas vantagens. Isso permite a implementação de impressoras menores e mais leves, como a BLUEMARK da Phoenix Contact.

Ir para os produtos

Gostaria de saber mais sobre esses produtos? Então clique no botão seguinte.

PHOENIX CONTACT
Ind. Com. Ltda.

Av. das Nações Unidas, 11.541,
19º andar - Brooklin Paulista
04578-000 - São Paulo/SP - Brasil
CNPJ 68.404.912/0001-62
(11) 3871-6400 (PABX)