Voltar para a visão geral

Princípios do registro de corrente

Na aplicação de cargas ôhmicas, como lâmpadas incandescentes ou aquecedores em uma rede tradicional de 230 V não são geradas distorções na rede de corrente. Com o crescimento de cargas não lineares, bem como devido a módulos de controle com divisão de fases, as ondas senoidais puras são distorcidas para formatos de curvas trapezoidais.

Muitos dos transdutores de corrente e de tensão presentes no mercado estão calibrados para correntes senoidais e, assim, indicam o valor efetivo apenas por meio da criação do valor médio. Os transdutores de corrente MCR, ao contrário, são transdutores de valor efetivo real. Eles aceitam qualquer formato de curva independentemente do fator de formato.

Registro do valor efetivo conforme princípio transformador (RMS)

Registro do valor efetivo conforme princípio transformador  

Registro do valor efetivo conforme princípio transformador (RMS)

Uma tensão de indução é gerada nos terminais de uma bobina através de um fluxo magnético que se altera com o tempo.

Uma disposição de ligação composta de dois circuitos separados galvanicamente, mas acoplados magneticamente é denominada por transformador.

Esta possibilidade de transmissão de corrente é uma das mais utilizadas e simples.

Registro do valor efetivo real conforme o princípio Rogowski (TRMS)

Registro do valor efetivo real conforme o princípio Rogowski  

Registro do valor efetivo real conforme o princípio Rogowski (TRMS)

O princípio de medição Rogowski é uma forma especial de medição de corrente transformadora de correntes alternadas senoidais e não senoidais.

A bobina de indução (bobina de ar) sem ferro, designada como bobina Rogowski, mede a tensão magnética longitudinalmente a um circuito fechado que conduz através de um condutor de corrente.

O sinal de saída da bobina Rogowski é preparado posteriormente, de modo a gerar uma representação exata da corrente primária.

Registro do valor efetivo real por meio do sensor de efeito Hall (TRMS)

Medição de corrente com o sensor de efeito Hall  

Registro do valor efetivo real por meio do sensor de efeito Hall (TRMS)

O fluxo magnético gerado pela corrente primária IP é compactado em um circuito magnético e medido na fenda de saída do ar com um sensor de efeito Hall.

O sinal de saída do sensor de efeito Hall é preparado posteriormente, de modo a gerar uma representação exata da corrente primária.

Criação do valor médio

Valor efetivo - valor médio quadrado

O valor efetivo de uma corrente alternada corresponde ao valor contínuo resultante dos valores momentâneos da corrente. Em uma resistência ôhmica, esse valor contínuo gera o mesmo trabalho térmico que uma corrente contínua da mesma dimensão.

O valor efetivo real significa que as correntes distorcidas, contínuas e mistas, também podem ser registradas. Assim, o transdutor é independente do formato da curva.

  • Ief. = Is/√2
  • Uef. = Us/√2

 

Apresentação do valor médio aritmético  

Valor médio assimétrico

Valor médio aritmético

O valor médio aritmético serve para medição de correntes contínuas ou para filtragem de um porcentual contínuo de uma corrente mista.

A utilização do valor médio aritmético para uma corrente alternada simétrica geraria um valor de medição equivalente a "0".

Através do valor médio aritmético é possível disponibilizar correntes contínuas como sinais padrão analógicos na saída.

A polarização pode ser avaliada por um sinal de saída bipolar. Para a rede de corrente Hz 230 V/50, nos níveis de tensão, isso significa:

  • Uef. = 230 V
  • US = 325 V
  • Umédio = 0 V

PHOENIX CONTACT
Ind. Com. Ltda.

Rua Francisco Corazza, 20 a 100
Pq. Residencial da Lapa
São Paulo/SP CEP: 05038-130
CNPJ 68.404.912/0001-62
(11) 3871-6400 (PABX)